Com Quem Está a Verdade?

As Testemunhas de Jeová acreditam que somente elas são detentoras da verdade. Muitas delas, até mesmo dizem: ‘eu nasci na verdade’, ‘conheci a verdade’, ‘minha família esta na verdade’. Se alguma Testemunha optar por sair da Organização, o jargão usado para tal pessoa na maioria das vezes é: ‘Ele(a) abandonou a verdade.’

Observando esse modo das Testemunhas de Jeová de se expressar em relação à ‘’verdade’’, podemos notar facilmente que para eles, a ‘verdade’ é a sua religião, fora dela não existe verdade! Fica mais claro ainda quando notamos das publicações da Torre de Vigia, confira:

 A Sentinela 15/7/2012  p. 10 par. 12;

A Sentinela 1/8/2012 pág. 28;

A Sentinela 1/8/2003 pág. 15-17, paragrafo 19;

A Sentinela 15/7/2002 pág.15-25;

Brochura: Caminho Para a Vida Parte 7;

Ao contrário do verdadeiro conceito bíblico para com a ‘’verdade’’, as Testemunhas de Jeová se apoderaram desse posto, afirmando que ‘’eles são a verdade’’, ‘’a única religião verdadeira’’.

Todavia, o que a Bíblia realmente diz é que a verdade não é uma religião, seja ela qual for, e sim que a verdade é a Palavra de Deus mediante Jesus Cristo.

“… a Lei foi dada por intermédio de Moisés, mas a graça e a verdade vieram por Jesus Cristo.” (João 1:17)

“Em verdade, em verdade [eu, Jesus] vos digo que o que ouve a minha palavra e crê aquele que me enviou, tem a vida eterna, e não entra em juízo, pelo contrário já passou da morte para a vida.” (João 5:24)

“Disse, pois, Jesus aos judeus que o haviam crido: Se vós permanecerdes na minha palavra, verdadeiramente sois meus discípulos, conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará.” (João 8:31, 32)

“Disse-lhes Jesus: Se sois filhos de Abraão, fazei as obras de Abraão; mas agora procurais tirar-me a vida, a mim que vos tenho falado a verdade que ouvi de Deus; isto Abraão não fez.” (João 8:39, 40)

“Respondeu-lhe Jesus: Eu sou o caminho e a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai senão por mim.” (João 14:6)

“Santifica-os na verdade; a tua palavra [a de Deus] é a verdade.” (João 17:17)

“Eu [Jesus] para isso nasci e para isso vim ao mundo, a fim de dar testemunho da verdade. Todo aquele que é da verdade, ouve a minha voz.” (João 18:37)

“Mas vós não aprendestes assim a Cristo; se é que o ouvistes e fostes instruídos nele, como está a verdade em Jesus.” (Efésios 4:20, 21)

“Pois só há um Deus e só há um mediador entre Deus e os homens, Cristo Jesus homem, que se deu a si mesmo em resgate por todos – testemunho que se deve dar em seus tempos; para o que eu fui constituído pregador e apóstolo (digo a verdade, não minto), mestre dos gentios na fé e na verdade.” (1 Timóteo 2:5-7)

Cabe a você escolher qual verdade irá seguir!

Por Ex-Testemunha de Jeová

 

Relatórios do Serviço de Campo

 

download
Folha do Relatório de Serviço de Campo que é preenchida obrigatoriamente por todas as Testemunhas de Jeová

‘’Mas tu, quando fizeres dádivas de misericórdia, não deixes a tua esquerda saber o que a tua direita está fazendo.’’ (Mateus 6:3)

Se alguém é Testemunha de Jeová “dedicada e batizada”, além de participar todos os meses no trabalho de casa em casa, é esperado que ela entregue, no início de cada mês, uma folhinha de papel especial informando quantas horas dedicou ao serviço. Isto se torna uma fonte de pressão não só para os encarregados de cobrar este relatório como para os “publicadores”, que se veem obrigados a entregá-lo.

Sobre isso, parece muito apropriado o que Paulo escreve em 2 Coríntios 9:7:

‘’Faça cada um conforme tem resolvido no seu coração, não de modo ressentido, nem sob compulsão, pois Deus ama o dador animado.’’

Este versículo trata de contribuições, mas é inegável que o princípio expresso se aplica ao caso. Para muitas Testemunhas, a sensação é de que se está sob compulsão por alguém (o ancião, a organização, o parente, o amigo) para entregar um relatório dizendo se e quanto você trabalhou divulgando as “boas novas” da organização num determinado mês. Em que parte das Escrituras se manda que os cristãos informem quantas horas trabalharam na “pregação”? Cada um é incentivado a dar o que tem resolvido “no coração”, trata-se de algo íntimo entre a pessoa e Deus. Como admitir-se que fiscais humanos interponham-se nesta relação íntima? Como podem as pessoas dentro da organização das Testemunhas se sentir sob compulsão para dar algo que devia ser dado de modo animado, espontâneo, sem cobranças?

É óbvio que todo verdadeiro cristão se sente motivado a falar de sua fé com outros quando e como achar conveniente, mas o ensino bíblico não estabelece o mínimo de horas que se deve passar na pregação das boas novas e muito menos que se deve relatá-las mensalmente. Por que persiste o Corpo Governante em não deixar que cada um faça “conforme resolvido no coração” quanto a pregar estas “boas novas diferentes”, de que o Reino de Deus foi empossado nos céus exatamente em 1914? Por que não admite simplesmente que “cada um de nós prestará contas de si mesmo a Deus.”? (Romanos 14:12)

Texto de William Gadêlha

Link original e matéria completa sobre ‘’Boas Novas’’: http://www.testemunha.com.br/conteudo.asp?cod=6

Pensamento Independente

Já entrou em algum lugar onde lhe proibiram de pensar? Pode lhe parecer estranho isso, mas em algumas religiões, o pensamento independente é fortemente desaconselhado, agora por quê? Conforme a maioria de nós sabe, dificilmente haverá alguma coisa que os líderes das Testemunhas de Jeová detestem mais do que o “pensamento independente”. Eles têm-nos informado vez após vez que essa abominação foi inventada pelo Diabo:

*** w83 15/7 p. 22 Exposição dos desígnios sutis do Diabo ***

EVITE IDÉIAS INDEPENDENTES

20 Satanás, desde o começo de sua rebelião, questionou a maneira de Deus fazer as coisas. Promoveu ideias independentes. ‘Você pode decidir por si mesma o que é bom e o que é mau’, disse Satanás a Eva. ‘Não precisa escutar a Deus. Ele realmente nem lhe está dizendo a verdade.’ (Gênesis 3:1-5) Até hoje, tem sido o desígnio sutil de Satanás contagiar o povo de Deus com esse tipo de ideias. — 2 Timóteo 3:1, 13

21 Como se manifestam tais ideias independentes? Um modo comum é questionar o conselho provido pela organização visível de Deus.

 

*** w85 1/11 p. 4 Ser independente de Deus — por que é impróprio? ***

O desejo de ser independente de Deus não é novidade. É quase tão antigo quanto o homem. O espírito de independência foi introduzido por Satanás, o Diabo.

Agora, qual seria o sinal deste tipo de pensamento? A Sentinela de 1983 citada acima dá um exemplo muito bom:

21 ‘’Como se manifestam tais ideias independentes? Um modo comum é questionar o conselho provido pela organização visível de Deus. ’’

Então questionar o conselho da Torre de Vigia seria uma manifestação desta influência diabólica. Vejamos se a Sentinela desenvolve o ponto:

*** w83 15/7 p. 27 Armados para a luta contra espíritos iníquos ***

LUTE CONTRA IDÉIAS INDEPENDENTES

19 Estudando a Bíblia, aprendemos que Jeová sempre orientou seus servos de maneira organizada. É assim como no primeiro século havia apenas uma só verdadeira organização cristã, assim Jeová usa também hoje uma só organização. (Efésios 4:4, 5; Mateus 24:45-47) Mas, há alguns que salientam que a organização já antes teve de fazer ajustes, e por isso argumentam: “Isto mostra que temos de decidir por nós mesmos o que devemos crer.” Estas são ideias independentes. Por que são tão perigosas?

Segundo esta citação da Sentinela, a própria ideia de que qualquer ser humano individual tem de investigar e depois decidir por si mesmo aquilo em que vai acreditar, é uma ideia do Diabo, nem mais! A maioria das pessoas esclarecidas compreende que poder decidir os assuntos por si mesmo é evidentemente a própria essência de qualquer homem ou mulher livre. Porém, os líderes das Testemunhas de Jeová na realidade afirmam que este é o pior dos males! Espantoso! Mas garanto-lhes que a loucura vai ainda mais longe quando lemos a seguinte citação da revista Sentinela:

O medo tem um grande controlo sobre as pessoas. As pessoas estão receosas do que os seus vizinhos, amigos, familiares e clero possam pensar se elas fizerem uma coisa tão simples como ler a Bíblia por si mesmas. Durante séculos, o clero tem dominado as vidas delas, disse-lhes o que podem ler, em que devem acreditar e o que devem fazer. Fazer uma sólida pergunta religiosa é uma demonstração de falta de fé em Deus e na igreja, segundo o clero. Em resultado disso, o povo irlandês faz muito pouco pensamento independente. Eles são vítimas do clero e do medo, mas a liberdade está à vista. [The Watchtower, 1 de Agosto de 1958, p. 460, em inglês]

Imagine tal coisa. O clero católico irlandês tinha dominado as vidas do povo irlandês a tal ponto que chegaram a dizer ao povo “o que podem ler” e “em que devem acreditar e o que devem fazer”! Ainda mais, este clero teve a audácia de dizer que: “Fazer uma sólida pergunta religiosa é uma demonstração de falta de fé em Deus e na igreja”! E aqui aparece a declaração mais fantástica de todas. Este comportamento muito arrogante e opressivo do clero católico teve este efeito: “Em resultado disso, o povo irlandês faz muito pouco pensamento independente.”

E ainda mais interessante é a declaração de que, devido à falta de pensamento independente, as pessoas irlandesas, segundo diz a Sentinela, ficaram “vítimas do clero e do medo”!

Agora, com isto em mente, podemos analisar com outros olhos as declarações da Sentinela dos anos oitenta. Segundo a revista Sentinela de 1983, “questionar o conselho provido pela” Sociedade Torre de Vigia é uma manifestação de “pensamento independente”. Por outras palavras, fazer perguntas sobre a religião das Testemunhas de Jeová é uma demonstração de falta de fé.

Raciocine agora!

Por que então era errado quando o clero irlandês disse ao povo “o que podem ler” e “em que devem acreditar e o que devem fazer”, mas quando os líderes das Testemunhas de Jeová fazem o mesmo, isso é correto? Por que foi que a ausência de “pensamento independente” entre os irlandeses os transformava em “vítimas”? Por que devia o povo irlandês imitar o Diabo e exercer “pensamento independente”? Será que o clero irlandês não tem o mesmo direito que a Torre de Vigia de dizer que os seus seguidores devem “Lutar contra o pensamento independente”? Ou será que o “pensamento independente” é permitido a toda a gente exceto às Testemunhas de Jeová?

Segundo a Sentinela, a falta de “pensamento independente” do povo irlandês tornou-o vítima do clero. Claro que isso é muita verdade. A mesma falta de pensamento independente torna cada Testemunha de Jeová numa vítima da Sociedade Torre de Vigia. Na melhor tradição do clero católico irlandês, eles escrevem coisas como esta:

*** w79 15/8 p. 20 par. 18 Visitas de anciãos beneficiam o povo de Deus ***

18 Num mundo em que as pessoas são jogadas em volta por ventos confusos de doutrinas religiosas, os do povo de Jeová precisam ser cristãos estáveis, plenamente desenvolvidos. (Efé. 4:13, 14) Sua atitude precisa ser firme, não se alterando rapidamente por causa de ideias independentes ou pressões emocionais.

É claro que esta próxima citação tem de ser apenas para os que não são Testemunhas de Jeová:

*** w72 15/9 p. 554 par. 7 O agrado de Jeová será bem sucedido ***

O homem possui mente e coração, não controlados automaticamente pelo instinto, mas capazes de pensamentos e raciocínios independentes, de fazer planos e decisões, de exercer o livre arbítrio e de desenvolver fortes desejos e motivações. Este é o motivo por que pode fazer uso das belas qualidades do amor e da lealdade, da devoção e da integridade.

É uma pena que isto não se aplique a nenhum dos seguidores fiéis da Sociedade Torre de Vigia. Mas a próxima citação e a última mostram-nos em todos os detalhes quão semelhantes são os líderes das Testemunhas de Jeová e o clero irlandês, sem dúvida porque eles têm exatamente as mesmas motivações. Eles querem ganhar poder sobre as suas vítimas e querem controlá-las:

É através das colunas de A Sentinela que Jeová provê direção e conselho bíblico constante para o seu povo, e é preciso um estudo cuidadoso e atenção a pormenores para aplicar esta informação, para obter uma compreensão plena dos princípios envolvidos, e para nos certificarmos de pensamento correto nestes assuntos. É deste modo que “estamos habilitados a apreender mentalmente com todos os santos” a plenitude da nossa comissão e da responsabilidade de pregar, que Jeová colocou sobre todos os cristãos enquanto seguidores das pisadas do Seu filho. Qualquer outro modo de proceder produziria pensamento independente e causaria divisão. [The Watchtower, 1 de Maio de 1964, pp. 277-278, em inglês]

Tal como o clero irlandês, os líderes das Testemunhas de Jeová não querem a “divisão” causada por pessoas que pensam. Toda a Testemunha de Jeová tem de simplesmente aceitar cegamente que a revista Sentinela é como se fosse a palavra de Jeová, aliás Jeová é quem estar por trás disso, segundo as TJs não é mesmo?

O estudante tem de se expressar por si mesmo à medida que compreende a verdade. (Gál. 6:6) Ele não pode ter pensamento independente. [The Watchtower, 1 de Setembro de 1962, p. 524]

Como esta última citação nos mostra, ao contrário do povo irlandês, uma verdadeira Testemunha de Jeová não pode ter “pensamento independente”. Notou que absurdo? Para os de fora, pensamento independente é correto, mas para uma Testemunha de Jeová não. Dá pra vocês imaginar do que a Torre de Vigia tanto teme a ponto de proibir as TJs de pensar por si mesmas? Eu sei da resposta, e você?

Artigo original: http://corior.blogspot.com/2006/02/pensamento-no-para-as-testemunhas-de.html