Torre de Vigia e a ONU

A Organização Torre de Vigia encara a ONU (Organização das Nações Unidas) como a fera do Apocalipse, instrumento usado por Satanás. Veja só uma citação que mostra como a Torre de Vigia encara a ONU:

 

A Sentinela 15 de junho de 2012 p. 17 par. 13

Essa fera promove a criação de uma imagem da fera. João escreveu que a imagem da fera apareceria, desapareceria e, daí, ressurgiria. Foi exatamente isso o que aconteceu com uma organização promovida pela Grã-Bretanha e Estados Unidos, que visava unir e representar os reinos do mundo. Essa organização surgiu depois da Primeira Guerra Mundial e era conhecida como Liga das Nações. Ela desapareceu com a eclosão da Segunda Guerra Mundial. Durante essa guerra, o povo de Deus declarou que, segundo a profecia em Revelação, a imagem da fera ressurgiria. E ressurgiu — como Nações Unidas. — Rev. 17:8.

Já imaginou se a Torre de Vigia estivesse associada com a fera? Muitas Testemunhas de Jeová acham que isso seria impossível, porém a organização esteve sim associada com a ONU por uma década. Isso mostra a falta de caráter por parte do Corpo Governante. Veja só!

Envolvimento com a ONU

Em 1991, a Sociedade Torre de Vigia de Nova Iorque requereu a afiliação à Secção das ONGs do DIP (Departamento de Informação Pública) das Nações Unidas como uma ONG (Organização Não Governamental), tendo obtido esse estatuto em 1992.

Ao aceitar essa associação, a Sociedade Torre de Vigia concordou em preencher os requisitos para essa associação, incluindo apoio e respeito aos princípios da Carta das Nações Unidas e compromisso e meios de conduzir programas de informação efetivos para os seus membros e para uma audiência mais vasta sobre as atividades das ONU.

Os responsáveis pela inscrição foram: Lloyd Barry, do Corpo Governante e Vice-presidente da Organização (dos EUA), e Ciro Aulicino, membro assistente do Departamento de Redação. Isso foi interpretado pelo críticos das Testemunhas de Jeová como afastamento do Corpo Governante do seu ensino de manter uma estrita Neutralidade Cristã. Segundo as suas publicações, a ONU é uma organização politica multinacional que está em oposição ao Reino de Deus.

A partir de agosto de 2001quando estes fatos se tornaram do conhecimento públicogerou de imediato numerosos pedidos de infomações e de protestos. (Fonte: Jornal britânico The Guardian de 8/10/2001 e 15/10 de 2001, artigos de Stephen Bates) Em consequência disso, a Torre de Vigia requereu de imediato o fim de sua associação com o DPI. Seguindo este pedido, o DPI da ONU pôs fim à associação em 9 de outubro de 2001.

O Corpo Governante informou a todos os Escritórios de Filial que a razão de a Sociedade Torre de Vigia de Nova Iorque tornar-se numa ONG associada ao DIP.

  • Foi que “precisava utilizar a biblioteca[ Dag Hammarskjold ] das Nações Unidas para pesquisar assuntos … Os formulários preenchidos na época junto às Nações Unidas, que temos arquivado, não contêm quaisquer declarações que conflituem com nossas crenças cristãs. Além do mais, as ONGs foram notificadas pelas Nações Unidas que a associação das ONGs com o DIP não constitui sua incorporação ao sistema das Nações Unidasnem conferem às organizações associadas ou ao seu pessoal quaisquer privilégios, imunidades ou estatuto especial.”

(Carta da Comissão Presidente do Corpo Governante de 1/11/2001 – a todos os Escritórios de Filial – Confidencial)

É um fato que em suas publicações e comunicações internas, a liderança da religião não informou da sua parceria de 9 anos. Algumas Testemunhas ao tomar conhecimento deste fato, independente da versão oficial, concluíram que as críticas tinham fundamento. O acesso à biblioteca acima citada não obrigava a Sociedade Torre de Vigia a ser uma ONG associada ao DIP da ONU. As condições de afiliação são públicas, apesar das declarações das enganosas dos seus porta-vozes.

De acordo com a primeira justificação, o registo foi feito para poder dar Ajuda humanitária e defender os Direitos Humanos em diversos países do mundo. Paul Gillies, do Gab. de Informação Pública da religião na Grã-Bertanha, enviou em 28/10/2001 uma carta em resposta ao jornal The Guardian.

  • “Os artigos de Stephen Bates noThe Guardian de 8/10 e 15/10 de 2001 deturpou a razão do registo … junto às Nações Unidas e contém alguns erros fatuais. Em 1991, uma de nossas corporações legais se registou junto às Nações Unidas como ONG com o único objetivo de ter acesso à vasta biblioteca das Nações Unidas. Este registo possibilita que um escritor que tenha recebido um cartão de identificação, possa aceder à biblioteca para pesquisar e obter informações que possam ser utilizadas em artigos sobre as Nações Unidas a serem escritos em nossas revistas. Não há nada de secreto nisso. Na época da inscrição, não se exigiu nenhuma assinatura em qualquer formulário. Anos mais tarde, sem que o Corpo Governante das Testemunhas de Jeová fosse notificado, as Nações Unidas publicaram o “Critério obrigando as ONGs a ela associadas a apoiarem os objetivos das Nações Unidas. Ao tomarmos conhecimento da situação solicitamos a nossa dissociação e o cartão de identificação do escritor foi devolvido.”

Uma pesquisa não tendenciosa sobre os critérios de associação disponíveis na Internet prova a falsidade ideológica do Corpo Governante. Stephen Bates, autor dos artigos mencionados, replicou:

  • “se não havia nada secreto com relação à sua associação com “a Fera de Escarlate” [ isto é, a ONU ], me surpreendeu que tantos dosseus seguidores nada sabiam a respeito dela, considerando a frequente condenação da ONU feita pela Torre de Vigia em suas publicações. Todos esses acontecimentos podem ser interpretados pelas Testemunhas como tendo um ar de traição e hipocrisia. Se não era segredo e a associação foi apenas para conseguir o acesso para uso da biblioteca, por que o Sr. [ Gillies ] não me informou disso quando falei consigo vários dias antes da publicação do artigo? … E por que a Sociedade Torre de Vigia decidiu se desligar apenas 2 dias depois do aparecimento de meu artigo, quando a Organização “soube da situação” que, certamente, não era segredo? Qualquer organização que se afilia a outra deve, certamente, saber que tem que se sujeitar a certos princípios básicos, portanto, fingir que, de repente, se viram obrigados a aceitar os princípios que regem a Carta da ONU é, no mínimo, falta de sinceridade. Ao ponto em que pude deduzir de sua carta, não há quaisquer erros fatuais em minhas reportagens pois o Sr. não me apontou nenhum que não tivesse tido a oportunidade de esclarecer quando conversamos.”

Segundo Pedro Candeias, do Gab. de Informação Pública em Portugal, reafirmou que “o registo como ONG só foi feito para dar Ajuda humanitária e defender os Direitos Humanos em diversos países do mundo e que essa inscrição não violava os preceitos estatutários das Testemunhas de Jeová e as críticas ao registo não têm qualquer fundamento. (Jornal Público Online de 20/1/2002)

Texto original ‘’Envolvimento com a ONU’’:  http://testemunhas.wikia.com/wiki/Envolvimento_com_a_ONU

Outras fontes para pesquisa:

http://corior.blogspot.com.br/2006/02/testemunhas-de-jeov-estiveram.html

http://testemunha.orgfree.com/onu.htm

http://www.4jehovah.org/pt-pt/a-torre-de-vigia-e-as-nacoes-unidas/

João 6:68: ‘’para QUEM iremos?’’ Ou ‘’para ONDE iremos?’’ Qual é o correto?

Quando o apóstolo Pedro fez essa pergunta, ele complementou: ‘’Tu [Jesus Cristo] tens declarações de vida eterna.’’ Isso já é suficiente para mostrar que este versículo não pode ser aplicado para nenhuma religião. Mas a organização Torre de Vigia aplica essas palavras a si mesma. Como assim?

A Sentinela 1 de outubro de 1994, página 8

“Assim como as profecias bíblicas apontavam para o Messias, elas também nos encaminham ao unido corpo de cristãos ungidos das Testemunhas de Jeová, que serve atualmente qual escravo fiel e discreto. Todos os que desejam entender a Bíblia devem reconhecer que a ‘grandemente diversificada sabedoria de Deus’ só pode ser conhecida através de seu canal de comunicação de Jeová, o escravo fiel e discreto. – JOÃO 6:68”

 

Note que bem no finalzinho, o texto de João 6:68 é aplicado à organização do escravo fiel e discreto. O Corpo Governante o aplica a si mesmo, embora Pedro só falasse ali de Jesus. Portanto, a organização se apoderou das palavras desse texto e se colocou perigosamente no mesmo lugar de Cristo. Fica claro, porém, que Cristo não lhes outorgou esse direito; este lhes foi autoconferido e tem sido o instrumento pelo qual a organização afunila toda a sua carga de controle mental, psicológico e espiritual ao passo que programa as sinceras Testemunhas de Jeová para jamais duvidarem de que é para a “organização” que devem ir. Ou seja, é como eles dizem: ‘’Para onde iremos?’’

Perceba que ao aplicar o texto para a organização, é como se o texto falasse de um lugar, um local. O pronome ‘’onde’’, é relativo de lugares. Mas será que o texto dá a ideia desse pronome? Não, o texto diz: ‘’para quem iremos?’’ O pronome ‘’quem’’ também é relativo, só que a diferença é que ele é pessoal. Esta se referindo a alguém. A organização Torre de Vigia descaradamente manipula esse versículo, justamente para exaltar a si mesma. Pedro falou que só Jesus tem declarações de vida eterna, e a Torre de Vigia na tentativa de controlar seus membros, exorta que somente lá tem declarações de vida eterna, se uma TJ sair, ela perde essa esperança.

Mas não é isso que a Bíblia ensina! Sair de uma organização religiosa como a Torre de Vigia não significa necessariamente perder de vista a maravilhosa perspectiva da vida eterna, visto ter Pedro atribuído apenas a Jesus o poder de ofertar o inestimável prêmio a qualquer pessoa que se mostrasse apta para recebê-lo. Portanto, independente de se pertencer ou frequentar uma determinada organização religiosa, qualquer pessoa poderá conquistar tal prêmio por simplesmente exercer fé no filho de Deus. (João 3:16) Quer uma prova bíblica?

Veja o que ocorre no contexto de Lucas 23:42, 43. Aquele malfeitor que agonizava ao lado de Jesus, nunca tinha ido às reuniões do Salão do Reino, ou à pregação de casa em casa; nunca havia feito discursos públicos ou estudado a revista A Sentinela, etc. No entanto, tal homem recebeu a impressionante garantia de um futuro eterno pela boca do próprio filho de Deus que lhe prometeu: “Estarás comigo no paraíso”. Sua fé simples no filho de Deus o conduziu à salvação sem que ele precisasse antes ingressar em qualquer organização religiosa. Só Jesus tem essa prerrogativa!

Mas devemos ir a alguém ou a algum lugar? Qual é o correto? Para QUEM iremos ou para ONDE iremos?

“Vinde a mim todos o que estais cansados sob o peso do vosso fardo e eu vos darei descanso. Tomai sobre vós o meu jugo e aprendei de mim, porque sou manso e humilde de coração, e encontrareis descanso para vossas almas, pois o meu jugo é suave e meu fardo é leve.” (Mateus 11:28-30)

“Onde estiverem 2 ou 3 ajuntados em meu nome, ali estarei eu no meio deles” (Mateus 18:20)

A verdade é que temos de ir para Jesus e não para um local. Ele é o salvador. Não interessa local ou religião, nenhuma delas tem declarações de vida eterna. Não pense que sair de uma organização significa que você pode perder a vida eterna, Jesus não mora numa organização. Ele garante a vida eterna a quem ele quer desde que exerça fé nele. Lembre-se do malfeitor que morreu ao lado de Cristo, ele não pertencia a nenhuma organização, mas teve sua garantia de estar no paraíso. Por que hoje isso seria diferente? A salvação não se dá por meio da obediência aos homens. (Salmos 146:3; Jeremias 17:5)

“Jesus disse-lhe: ‘Eu sou o Caminho, a Verdade e a Vida. Ninguém vem ao Pai senão por mim'” (João 14:6)

 

A hipocrisia de uma religião

O artigo que será abordado a seguir é um assunto em que eu particularmente considero importante no que se refere à educação que as Testemunhas de Jeová têm para com outras pessoas. Eu me refiro à situação em que uma TJ rejeita uma publicação de outra crença, mesmo que essa pessoa tenha aceitado uma revista ou livro das testemunhas, e também vamos considerar a maneira de como os adeptos da Torre de Vigia reage quando suas crenças são questionadas, mostrando como uma religião leva seus membros a serem hipócritas, sem que eles percebam isso!

Recusar publicações contrárias à sua fé religiosa?

Na revista a Sentinela de 1 de novembro de 1984 pág. 32, na pergunta dos leitores: Por que se recusam as Testemunhas de Jeová a trocar seus compêndios bíblicos por publicações religiosas das pessoas que contatam? Essa é uma ótima pergunta a se fazer não é mesmo? Afinal de contas, as Testemunhas de Jeová frequentemente distribuem literaturas que vez após vez expõe a religião e as crenças das pessoas em geral. Mas o que realmente me chama a atenção é a resposta dada pela Torre de Vigia nessa pergunta, explicando assim o motivo hipócrita e preconceituoso que é inculcado na mente das Testemunhas de Jeová quando alguém oferece publicações que não são produzidas pela Sociedade Torre de Vigia.

No primeiro paragrafo da resposta dada pela Torre de Vigia para a pergunta em questão é a seguinte:

As Testemunhas de Jeová realizam seu ministério público em obediência a instruções divinas. Jesus disse que durante a atual “terminação do sistema de coisas”, as “boas novas do reino [precisam ser] pregadas em toda a terra habitada, em testemunho a todas as nações; e então virá o fim”. (Mateus 24:3, 14) Portanto, as Testemunhas não se dirigem à porta das pessoas em busca da verdade ou de esclarecimento. Em vez disso, já devotaram inúmeras horas para aprender a verdade da Palavra de Deus, e, tendo assimilado as “boas novas”, obedientemente as divulgam.

De fato, as Testemunhas de Jeová creem que seu ministério de pregação cumpre o que Jesus disse que culminaria o ‘’fim do sistema de coisas’’. Além do mais, se as Testemunhas estão pregando a ‘’verdade’’, quem são os outros para instruir elas? É assim que elas pensam! Na frase final do paragrafo diz que as TJs ‘’já devotaram inúmeras horas para aprender a verdade da Palavra de Deus, e, tendo assimilado as “boas novas”, obedientemente as divulgam.’’ Bem, todos os que conhecem a verdade sobre a tal ‘’verdade’’ da Torre de Vigia sabe que essa afirmação se trata de uma falácia! Em primeiro lugar, quando um estudante das Tjs esta dedicando horas aprendendo a ‘’verdade’’, sabemos que essa ‘’verdade’’ não é a verdade bíblica tecnicamente falando. Mas se trata das doutrinas da Torre de Vigia. Um estudante que só pesquisa o lado positivo da organização nunca vai saber o que é realmente a verdade no qual ele esta aprendendo. A Bíblia diz que nos devemos ‘’certificar de todas as coisas’’ (1 Tes. 5:21) mas isso pelo que notamos não é permitido para um iniciante das TJs, se ele se atrever a se certificar de tudo, é muito provável que seus instrutores desistam de ensina-lo.

Para as TJs só quem faz parte da organização Torre de Vigia vai ganhar a salvação. (Veja A Sentinela 15 de março de 1976, página 177 parágrafo 5 e a Sentinela 15 de julho de 1982, página 21, parágrafo 18) Mas como já sabemos esse estudo é simplesmente um estudo das doutrinas da Torre de Vigia, no intuito de converter a pessoa a ser um membro das TJs. E como eles acham que estão na verdade, eles não querem que ninguém os ensine, pois só eles possui o conhecimento. Para mim isso não passa de uma falácia muito bem elaborada, que só engana os desinformados!

No parágrafo 3 em parte diz assim:

As Testemunhas de Jeová não desconhecem as crenças das outras pessoas. Adquiriram considerável conhecimento básico das crenças doutrinais das religiões comuns em sua região. Foi feita uma explanação de tais ensinos no livro Que Tem Feito a Religião Pela Humanidade’, bem como em numerosos artigos de A Sentinela e Despertai!. Essa informação sobre as diversas religiões é apresentada no contexto do seu contraste com os ensinos exatos da Bíblia.

Aqui já expõe uma tremenda mentira! Sem contar na grande hipocrisia por detrás dessas palavras! Primeiramente se diz que as Testemunhas de Jeová conhecem as crenças de outras religiões, mas isso elas aprendem aonde? Será que elas procuraram essas religiões para aprenderem sobre elas? Não, nesse parágrafo é dito explicitamente que as TJs estudam as crenças de outras religiões através de suas próprias publicações. Não que uma TJ tenha ido visitar outra religião para aprender sobre eles, até por que uma TJ é proibida de pelo menos visitar outra denominação. Então como ela conhece as crenças de outros grupos religiosos? (Veja a Sentinela 15 de julho de 1976, pág. 436)

Nas publicações das Testemunhas de Jeová, o que vem retratando sobre outras religiões? Segundo as revistas da Torre de Vigia, todas as religiões são a ‘’Babilônia, a Grande’’, o imperial mundial da religião falsa! Eu disse religião falsa? Isso mesmo. Para as TJs, todas as religiões com exceção deles, são falsas e desaprovadas por Jeová. Então quando uma TJ estuda sobre outras crenças religiosas, qual será a impressão que elas vão ter dos outros? Que todas elas ensinam mentiras!

 Capa da revista Despertai! fevereiro de 2007
Capa da revista Despertai! fevereiro de 2007
20150920_103452
Brochura Viva Para Sempre em Felicidade na Terra!

 

 

 

No entanto, é aqui que vêm a maior hipocrisia que eu vejo nas TJs. Se eles distribuem revistas que expõe as religiões, por que então negar quando alguém lhe oferece uma publicação expondo as crenças TJ? Jesus disse: ‘’Todas as coisas que quereis que os outros vos façam, fazei do mesmo modo a eles. ‘’ (Mateus 7:12)

Olhe novamente o que diz no parágrafo 4:

Portanto, seria imprudente, bem como um desperdício de tempo precioso, as Testemunhas de Jeová aceitarem publicações religiosas falsas, que visam enganar, e se exporem ao perigo delas. Não têm intenção de cair no lamentável proceder dos judeus, sobre quem Paulo disse que “trocaram a verdade de Deus pela mentira”.

Que hipocrisia! Viram como as Testemunhas de Jeová encaram as outras religiões? O Corpo Governante ensina que toda religião ensina mentiras e que são falsas! Mas e a Torre de Vigia? Tudo que é ensinado lá é verdadeiro? Este site já mostrou muitas mentiras das TJs, bem como dezenas de sites espalhados pela internet fazem o mesmo. Mas por que os membros da Torre de Vigia não aceitam publicações de outras religiões? Olhe só o trecho do parágrafo citado acima: ‘’publicações religiosas falsas, que visam enganar, e se exporem ao perigo delas.’’ Desde quando alguém que possui a verdade absoluta da Bíblia vai se deixar enganar por matérias falsas? Falsidade é perigo para quem tem a verdade? Não é isso que a Bíblia ensina!

‘’Nada podemos contra a verdade, somente a favor dela.’’ (2 Coríntios 13:8)

 

Por que ter medo?

Nas revistas das Testemunhas de Jeová diz que algumas pessoas tem certo medo da verdade, e sempre procura dá uma impressão de que as Tjs são diferentes nisso, ou seja, elas não têm medo da verdade. Mas conforme vimos até aqui, será que é isso mesmo? Quando uma TJ se confronta com evidências que contradiz o seu sistema de crenças, será que ela investiga? Aceita a literatura? Pelo que sabemos isso não é feito entre elas.

Quando as Testemunhas de Jeová tocam às portas das pessoas no decurso do seu trabalho educacional cristão, algumas pessoas recusam-se a trabalhar com elas, chegando mesmo a fechar-lhes a porta na cara de maneira rude, e outras declinam ler quaisquer das suas publicações porque, conforme declaram, os seus ministros proibiram-nas de as ler. Não estão estas pessoas manifestando o medo da verdade? – A Sentinela 15 de junho de 1962, página 8 (em inglês).

As pessoas se refreiam de ler matérias das TJs porque seus lideres os proíbem, mas não é essa mesma mentalidade no que diz respeito às Testemunhas de Jeová quando se confrontam com matérias contrarias a sua fé? Grande hipocrisia! Sem se falar que com respeito aos sites que expõe a organização TJ,  é terminantemente proibido uma TJ acessa-lo. Pois a Torre de Vigia diz que se a TJ fiel der atenção a matérias criticas, significa desagradar a Deus e que pode perder seu favor.

Imagem no pé da página 30 da brochura Quem Esta Fazendo a Vontade de Jeová Hoje?
Imagem no pé da página 30 da brochura Quem Esta Fazendo a Vontade de Jeová Hoje?

‘’Ora, o que fará então quando se vir confrontado com ensinos apóstatas — raciocínios sutis — afirmando que aquilo que você crê como Testemunha de Jeová não é a verdade? Por exemplo, o que fará se receber uma carta ou alguma literatura, e, abrindo-a, vê logo que procede dum apóstata? Será induzido pela sua curiosidade a lê-la, só para ver o que ele tem a dizer? Talvez você até mesmo raciocine: ‘Isso não me vai afetar; sou forte demais na verdade. E, além disso, tendo a verdade, não temos nada a temer. A verdade suportará a prova.’ Argumentando assim, alguns nutriram a mente com raciocínios apóstatas e caíram vítimas de sérias perguntas e dúvidas. (Veja Tiago 1:5-8) Portanto, lembre-se da advertência contida em 1 Coríntios 10:12: “Quem pensa estar de pé, acautele-se para que não caia.”  A Sentinela 15 de março de 1986 pág. 12 par. 7

No que eu posso resumir tudo isso? Medo! A Torre de Vigia têm muito medo de que seus membros passem a duvidar do Corpo Governante, e geralmente isso resulta na perda de membros. Esse medo é claramente mostrado nesta imagem na página 12 dessa mesma revista:

]fear.pt.w1986-03-15p12

Falamos a verdade!

As Testemunhas de Jeová acreditam que ao falarem a verdade sobre as religiões expondo seus erros, é o mesmo que ajudar as pessoas que estão sendo enganadas pelo sistema religioso, inclusive a Sentinela disse:

A Sentinela 1 de março de 1985  p. 8

Sim, a mensagem que proclamam expõe realmente o erro, mas, assim como o apóstolo Paulo, elas perguntam: ‘Tornamo-nos seus inimigos porque estamos falando a verdade?’ (Gálatas 4:16)

Mas os adeptos da Torre de Vigia não imaginam que a organização no qual servem fielmente também esta cheia de erros! Mas se alguém expõe esses erros, mesmo que seja verdade e mostrando as provas, qual é a reação das Tjs? Muitas delas dizem assim:

– Você esta falando a toa!

– Você nunca vai conseguir parar a obra das TJs!

– Pare de denegrir a imagem da organização!

– Por que nos perseguem com palavras ventosas?

– Tudo isso é mentira! A organização não comete erros e sim equívocos! (Qual é a diferença? Uma organização dirigida por Deus não pode cometer e muito menos pregar equívocos!)

O que o texto de Gálatas 4:16 diz? ‘’Fiz-me acaso vosso inimigo, dizendo a verdade?’’ Se as TJs usam este versículo para expor os erros das outras religiões, por que então reagir de forma negativa quando a sua religião esta sujeita a criticas? Não acha que isso é a mais pura hipocrisia e o medo? Medo da verdade ou da mentira? Veja um artigo da revista a Sentinela se referindo a aqueles que criticam a organização, veja como eles caracterizam as pessoas que expõe seus erros, dê a devida atenção as palavras que eu grifei:

A Sentinela 15 de julho de 2011  p. 16 par. 5-7

5 Como os falsos instrutores agem? Os seus métodos revelam astúcia. Eles ‘introduzem quietamente’ ideias corrompedoras. Assim como os contrabandistas, eles operam de modo clandestino, introduzindo sutilmente conceitos apóstatas. E, assim como um astuto falsificador tenta passar documentos falsificados, os apóstatas usam “palavras simuladas”, ou argumentos falsos, tentando passar por verdades seus conceitos inventados. Eles espalham “ensinos enganosos”, ‘deturpando as Escrituras’ para acomodar suas próprias ideias. (2 Ped. 2:1, 3, 13; 3:16) Obviamente, os apóstatas não desejam o nosso melhor. Segui-los nos desviaria do caminho para a vida eterna.

6 Como nos proteger dos falsos instrutores? Os conselhos da Bíblia sobre como lidar com eles são claros. (Leia Romanos 16:17; 2 João 9-11.) “Que os eviteis”, diz a Palavra de Deus. Outras traduções dizem “afastem-se deles” e ‘desviem-se deles’. Não há nada ambíguo nesses conselhos inspirados. Suponha que um médico lhe recomendasse evitar o contato com alguém infectado com uma mortífera doença contagiosa. Você entenderia as palavras do médico e seguiria estritamente o seu conselho. Os apóstatas estão mentalmente ‘doentes’ e tentam contaminar outros com os seus ensinos desleais. (1 Tim. 6:3, 4, Bíblia Pastoral) Jeová, o Grande Médico, diz que devemos evitar o contato com os apóstatas. Sabemos o que ele quer dizer, mas estamos decididos a acatar seu alerta em todos os sentidos?

7 O que está envolvido em evitar falsos instrutores? Nós não os recebemos em casa nem os cumprimentamos. Não lemos as suas publicações, não assistimos às suas apresentações na televisão, não acessamos os seus sites na internet nem adicionamos comentários aos seus blogs. Por que adotamos uma posição tão firme? Por causa do amor. Nós amamos o “Deus da verdade”, de modo que não nos interessamos em ensinos distorcidos contrários às verdades da Palavra de Deus. (Sal. 31:5; João 17:17) Além disso, nós amamos a organização de Jeová, por meio da qual aprendemos coisas maravilhosas — como o nome de Deus e seu significado, o Seu propósito para a Terra, a condição dos mortos e a esperança da ressurreição. Você se lembra de como se sentiu quando aprendeu essas e outras verdades preciosas? Por que, então, deixar-se contaminar por alguém que tenta denegrir a organização por meio da qual você aprendeu essas verdades?

Lendo esses parágrafos, em especial as partes grifadas, vemos como o escritor dessa matéria chama os que criticam a Torre de Vigia de: astuciosos, contrabandistas, clandestinos, astuto falsificador, espalham ensinos enganosos, deturpam as Escrituras, que eles não desejam o nosso melhor, seguir eles seria como perder a vida eterna e são doentes mentais! Tudo isso a Torre de Vigia classificam aqueles que criticam seus dogmas, e nessa citação a organização diz que essas pessoas que a criticam, estão denegrindo a imagem deles. Mas em vista de todos os adjetivos negativos que a organização usa contra essas pessoas, não estaria ela denegrindo a imagem das pessoas que a criticam? Outra hipocrisia! Para mais informações, Clique aqui.

Você seguirá o exemplo hipócrita da Torre de Vigia?

Eu fui Testemunha de Jeová por um bom tempo, e eu sei perfeitamente que essa mentalidade de não aceitar publicações de outras religiões principalmente quando esta contém críticas à organização, estão fortemente grudadas na mente das TJs. Até por que o próprio Corpo Governante orienta, que se algum fiel se deparar com algo criticando a tal ‘’organização de Jeová’’ deve ser rejeitado imediatamente. Quem foi TJ sabe disso! Veja um artigo do site oficial da Torre de Vigia,  Veja aqui.

Jesus deixou bem claro que ‘’devemos tratar os outros da mesma maneira que desejamos ser tratado.’’ (Lucas 6:31) Se uma TJ entrega uma Sentinela para um morador, e ele dá um folheto da igreja dele, mas a TJ rejeita, estaria essa pessoa seguindo o conselho de Cristo? Qual é o mal de aceitar publicações de outras crenças? Segundo consideramos até aqui, as TJs não querem se expor ao perigo de serem enganados pela ‘’religião falsa’’. Mas se eles têm a verdade, não há o que temer.

Verdade que Conduz à Vida Eterna, página13

‘’Uma vez que não queremos  que a nossa adoração seja em vão, é importante que cada um de nós examine a sua religião. (…) precisamos examinar não só o que nós mesmos cremos, mas também o que é ensinado pela organização religiosa com que talvez nos associemos. (…) Se amarmos a verdade, não precisamos temer tal exame. ‘’

 

Você que é Tj faz isso para com a sua organização religiosa? Examina seus ensinos? Se sua religião não o incentiva a fazer isso, o que ela não quer que você descubra? Cuidado! O medo por detrás de uma organização religiosa pode fazer com que seus fieis fiquem presos ao sistema religioso. Ore a Deus, peça sabedoria pra não se desviar do caminho que nos conduz à vida, caminho esse que só é Jesus Cristo, e não a organização Torre de Vigia! (João 14:6)